Homenagem da Prefeitura de Tailândia as Mulheres

Administração Assistência Social

Parabéns a todas as mulheres de Tailândia, região, do Estado do Pará e do Brasil

O prefeito Macarrão, a Secretaria de Ação e Desenvolvimento Social e o conjunto das secretarias municipais, CONVIDA você e a sua família para participar de uma grande ação em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, que acontecerá no Ginásio de Esportes Municipal Werner Kronbauer, dia 08 de Março, a partir das 8h.

Esse evento contará com várias ações, tais como emissão de documentos, informações sobre os programas sociais da Prefeitura de Tailândia, Corte de Cabelo, Designer de Sobrancelhas, palestras sobre a saúde da mulher, stand da Fábrica de Confecções com peças a preço único de 10 reais, brincadeiras e prêmios.

O evento também contará com a volta da Carreta da Saúde, com atendimentos de consultas médicas e de dentistas.

A História do Dia Internacional da Mulher

O dia 8 de março foi escolhido não por acaso. Em 1857, nessa data, foi realizada nos Estados Unidos a primeira greve de mulheres, em uma fábrica de tecidos na cidade de Nova York.

As tecelãs reivindicavam tratamento digno (sofriam violência sexual e física), redução da carga horária diária para 10 horas (a carga horária era de 16 horas) e salários iguais aos dos homens que exerciam o mesmo cargo (ganhavam um terço do salário dos homens).

É importante lembrar que nesse período, as mulheres não tinham direitos civis como os homens. Desde que foi instituído o Dia Internacional da Mulher, a data é marcada por discussões sobre o papel da mulher na sociedade, buscando soluções para a discriminação, para a desvalorização do trabalho das mulheres, uma realidade até hoje na maioria dos países.

Direitos das Mulheres no Brasil

No Brasil, as mulheres só obtiveram o direito ao voto em 1932 e leis mais severas contra os maus tratos são muito recentes, como a Lei Maria da Penha que foi criada em 2006 com intuito de coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher, seguindo os termos da Convenção sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra as Mulheres e da Convenção Interamericana para Prevenir, Punir e Erradicar a Violência Contra a Mulher.

A Lei nº13.104/2015, popularmente chamada de Lei do Feminicídio, surgiu para tipificar o crime de homicídio doloso contra a mulher, por condição de sexo feminino, ou seja, quando for baseada no gênero, além de incluir o Feminicídio no rol dos crimes hediondos trazidos pela Lei 8.072/90, o que impede que o acusado seja solto mediante pagamento de fiança, a nova Lei também criou uma causa de aumento de pena (um terço até a metade) quando o feminicídio tenha sido praticado durante a gestação, nos três meses posteriores ao parto, contra pessoa menor de quatorze anos, contra pessoa maior de sessenta anos, contra pessoa deficiência, na presença de descendente da vítima e na presença de ascendente da vítima.

Hoje, o foco de luta das mulheres é a igualdade de salários, políticas públicas de saúde da mulher e contra qualquer forma de assédio. Não é não!

De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), são direitos das mulheres:

1. Direito à vida.

A violência contra as mulheres deve ser combatida com todas as forças legais possíveis. Homem que mata mulher, pela condição de ser mulher, deve sentir a força, sem complacência, da Lei.

2. Direito à liberdade e à segurança pessoal.

Cárcere privado é crime. As mulheres são livres para irem e virem. Nenhum homem pode proibir, sob coação, a liberdade de suas esposas, filhas, mães.

3. Direito à igualdade e a estar livre de todas as formas de discriminação.

4. Direito à liberdade de pensamento.

A mulher nâo é obrigada a ficar calada: dar sua opinião, falar o que pensa e questrionar é um direito inalienável delas.

5. Direito à informação e à educação.

O acesso ao estudo e à formação das mulheres é um dever de todos.

6. Direito à privacidade.

7. Direito à saúde e à proteção desta.

8. Direito a construir relacionamento conjugal e a planejar sua família.

A mulher tem o direito de escolher com quem casar, quando casar e onde morar, além de decidir sobre sua vida conjugal sem a interferência de pastor, padre, bispo, pai-de-santo.

9. Direito a decidir ter ou não ter filhos e quando tê-los.

10. Direito aos benefícios do progresso científico.

11. Direito à liberdade de reunião e participação política.

As mulheres tem o direito de votarem em quem quiserem e se reunirem onde quiserem, sem nenhuma sombra de intimidação por parte de seus maridos, filhos, pais, governo e religião.

12. Direito a não ser submetida a torturas e maltrato.

Inclusive a maus tratos psicológicos, sociais e qualquer forma de humilhação,mdiante de amigos, parentes ou filhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *